Imagem Ilustrativa

Um caso já confirmado de leishmaniose visceral canina, mais conhecido popularmente por “Calazar”, foi registrado no município de Pombal.

A doença, segundo informações repassadas à redação do Portal Liberdade PB, foi identificada em março pelo médico veterinário Arcanjo Bandeira em uma avaliação de rotina sendo confirmada neste mês de abril, através de contraprova, após resultados de exames encaminhados a três laboratórios.

O caso recente, apontando o acometimento da leishmaniose visceral, envolveu um animal que vivia no centro da cidade.

Mesmo sendo o primeiro fato registrado oficialmente neste ano, a situação preocupa em virtude de que hoje um grande número de animais, notadamente cães, perambula pelas ruas da cidade.

Enquanto providências por parte das autoridades constituídas não são efetivadas, o profissional faz um alerta levando em conta o iminente risco que pode oferecer a população de um modo geral.

A moléstia não é contagiosa nem se transmite diretamente de uma pessoa para outra, nem de um animal para outro, nem dos animais para as pessoas.

A transmissão  ocorre através da picada do mosquito fêmea infectado e quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos.

O cão doente precisou ser submetido a eutanásia, prática pela qual se abrevia a vida de um enfermo incurável de maneira controlada, assistida e sem sofrimento.

A retirada de animais abandonados nas ruas, como já recomendou o Ministério Público, destinando-os a um local apropriado ainda não aconteceu.

A orientação não é direcionada somente a Pombal, mas aos demais municípios jurisdicionados pela referida comarca.

FONTE: LIBERDADE PB