Os Jornalistas Gutemberg Cardoso e Eron Cid entrevistaram Pollyanna Dutra na tarde desta terça feira no programa Arapuan verdade.

A ex prefeita de Pombal e agora candidata a deputada estadual Pollyanna Dutra, falou sobre aborto, sua possível composição como vice de João Azevedo entre outros assuntos.

‘A mulher é esse ponto de equilíbrio – ela é especialista em mediar conflitos. A mulher sertaneja tem sangue de batalhas tem a certeza de ter foco nas metas traçadas.’

A mulher não poder ser coadjuvante, nós conquistamos esse espaço com lutas. Seja no legislativo ou executivo. A Paraíba carece da presença do sexo masculino nessas chapas.

“Eu sempre tive esse viés de esquerda. Sempre fui inquieta. “

Pollyanna disse sentir-se honrada com a lembrança do seu nome para ser vice de João Azevedo, elogiou a postura do governador Ricardo e avaliou que ser cotada para vice qualifica e massifica ainda mais a musculatura da sua postulação à Casa de Epitácio Pessoa.

Sobre ralatorio da CGU que denunciou superfaturamento de 4 milhões. Ela afirmou que a obra foi entregue e os problemas foram reparados e denunciou que a atual gestão não permite a obra de reparos no calçamento e que a questão está na justiça .

Perguntada se a discriminalização do aborto diminuiria a morte materna, ela afirmou defender a vida, mas que o tema deve ser discutido sim e que o protagonismo feminino deve ser garantido.

Sobre sua saída do PT, Pollyanna disse: ‘O PT precisa de reinventar” já não tinha mais espaços pra mim lá. Eu não fui ao PSB por causa de legenda, pois legenda eu ja tinha, eu busquei identidade política.

 

Fonte: Polêmica Paraíba