Foto: Reprodução/Folha Patoense

Quando descoberto precocemente e tratado adequadamente, a maior parte dos casos de câncer têm cura. Mas, para ser descoberto cedo e tratado com eficácia, o paciente precisa ter ao seu dispor uma unidade que lhes permita um diagnóstico precoce e meios adequados de tratamento. Com o Hospital do Bem, que foi inaugurado na noite desta segunda-feira (03), pelo governador Ricardo Coutinho, muitos pacientes de municípios do Sertão e Alto Sertão paraibanos além de poder contar com esse serviço na rede estadual de saúde, não mais precisarão se deslocar para fazer o diagnóstico e o tratamento do câncer em hospitais de João Pessoa ou Campina Grande, porque, pelo menos 30% da demanda oncológica da região será suprida pelo Hospital do Bem. Com o início dos serviços da unidade, abre-se um novo ciclo no tratamento do câncer na Paraíba, especialmente, para a população de 89 municípios que fazem parte da 3ª Macrorregião de Saúde (Patos).

O Hospital do Bem, denominado desta forma porque a terminologia reflete o seu propósito de fazer o bem para as pessoas, faz parte do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos e vai ofertar serviços de diagnóstico, tratamento ambulatorial com consultas médicas e de outros profissionais de saúde, cirurgias oncológicas e quimioterapia nos casos mais incidentes na região, nas especialidades de urologia, mastologia, ginecologia e dermatologia. Com uma área construída de 1.295 metros quadrados, o Hospital tem 25 leitos de internação, uma ampla sala para quimioterapia com espaços para dez tratamentos simultâneos, além de enfermarias clínica, cirúrgica e de retaguarda, entre outros espaços.

A estimativa é que, anualmente, sejam realizadas 650 cirurgias e 5.300 procedimentos de quimioterapia. Funcionando em regime de regulação, o paciente precisa ser direcionado, via Secretarias de Saúde Municipais. “O Hospital Regional agora é um complexo e é importante que a população entenda que enquanto complexo a unidade continuará com o serviço de urgência e emergência, com referência para traumatologia, mas que o Hospital do Bem não funciona em regime de portas abertas que é aquele que o paciente chega na ambulância e é atendido”, explica a diretora geral do Complexo, Liliane Sena.

Já o hospital de oncologia, reitera a diretora, é uma unidade de portas fechadas, ou seja, tem sua demanda a partir do encaminhamento dos pacientes via Secretarias Municipais em articulação com a Secretaria de Saúde Estadual, e de forma organizada, para oferta dos serviços disponibilizados pelo Hospital do Bem. “Vamos organizar um fluxograma junto as secretarias municipais de saúde para que os pacientes já venham para cá com dia e hora marcada para suas consultas e isso será feita em sintonia com a Secretaria de Saúde Estadual, de maneira ágil e eficaz”, explica Liliane Sena.

Ainda segundo a diretora, os atendimentos começarão nesta quarta-feira, porque hoje (04) o hospital vai passar por uma desinfecção terminal e higienização, que é um procedimento importante e necessário após o alto fluxo de pessoas que transitou pela unidade por ocasião da inauguração. Os primeiros pacientes do Hospital do Bem inauguram os serviços da unidade nesta quarta-feira (05), a partir das 8h.