Uma mulher, moradora de Campina Grande, conseguiu alimentar pelo menos 400 bebês prematuros que nasceram no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) e em outros hospitais da cidade.

É que ela doou 43 litros de leite materno para o banco de leite do Instituto.

Mas, a experiência de Ângela quanto à amentação dos filhos, não foi muito boa. Na primeira gravidez, ela não conseguiu amamentar direito a filha, pois o leite foi insuficiente.

Na segunda, ela sentiu muitas dores e até febre, já que o filho teve dificuldades de mamar e o leito endureceu.

Com o auxílio do esposo, que fez pesquisa de como melhorar a amamentação, Ângela realizou massagens nos seios, seguiu outros procedimentos, e conseguiu alimentar o filho.

Meses depois, a mulher doou uma grande quantidade. Os 43 litros doados surpreenderam a coordenação do banco de leite.

De acordo com a coordenadora, Alana Fernandes, este foi considerado um record.

– O litro pode alimentar até 10 bebês da UTI neonatal. Sendo assim, Ângela pode ter sido mãe de mais de 400 bebês. Este é um ato de amor que ajuda as mães que não estão conseguindo alimentar seus filhos diretamente no peito – disse.

Para Ângela, doar o leite materno é um ato de amor.

– A gente pode doar vida e amor sem olhar a quem. Acho que todo mundo merece – disse

WSCOM