O presidente do Paraíba de Cajazeiras, Tiko Miudezas, informou na manhã desta quarta-feira que considera a hipótese de entrar na Justiça para pedir o rebaixamento do Treze pela escalação do meia Marcelinho Paraíba durante o Campeonato Paraibano. O jogador é pivô de uma pendência judicial envolvendo o Galo e o seu ex-clube, o Inter de Lages, de Santa Catarina. Se o certame estadual acabasse hoje, a Cobra Coral sertaneja estaria rebaixada, já que atualmente ocupa a 10ª posição na tabela, com 11 pontos de um total de 45 disputados. Para o dirigente, qualquer chance de evitar o rebaixamento da sua equipe é válido.

Tiko afirmou que, desde o início da novela entre Marcelinho Paraíba e o Internacional de Lages, acompanhava o caso em busca de uma brecha. O presidente tricolor avalia que liminares podem cair a qualquer momento, mas não imaginava que a essa altura do campeonato, faltando apenas três rodadas para acabar a primeira fase da competição, iria haver alguma reviravolta no caso. Mas aconteceu.

O dirigente, que não está em Cajazeiras, deixou avisado que, quando retornar à cidade, vai estudar junto ao departamento jurídico do Paraíba se será possível entrar com alguma ação na justiça para pedir o rebaixamento do Treze ou a anulação das partidas em que Marcelinho atuou.

– Junto ao departamento jurídico do Paraíba, vamos ver se é possível fazer algo em relação ao Marcelinho. Quando nós soubemos que ele estava atuando por uma decisão, já estudávamos se seria possível, se é uma causa pela qual vale a pena lutar. Hoje à tarde vamos consultar alguém. Ainda não conversamos com todo mundo da diretoria, mas vamos agilizar isso. Se o campeonato acabasse hoje, nós estaríamos rebaixados. Estamos caindo. Em tudo que a gente puder se agarrar, vamos atrás – disse.

Treze e Paraíba se enfrentaram na rodada passada do Campeonato Paraibano, e o resultado não foi nada bom para o time sertanejo: 2 a 0 para o Galo, no Estádio Presidente Vargas. Na ocasião, Marcelinho Paraíba não esteve presente, já que um dia antes atuou no seu jogo de despedida no Hertha Berlim, na Alemanha. No primeiro turno, o confronto aconteceu no Estádio Perpetão e o resultado mais uma vez não foi positivo para o Paraíba: a equipe perdeu por 2 a 1, com Marcelinho tendo participação no primeiro gol e marcando o segundo contra a Cobra Coral.

Entenda o caso

Marcelinho Paraíba atuava pelo Galo com uma liminar deferida pela juíza Maria Ísis Diógenes Bezerra, que na semana passada se declarou incompetente para julgar a ação e pediu que o processo fosse julgado por uma vara trabalhista de Lages, em Santa Catarina, já que o contrato do meia e o clube foi acordado lá e o jogador reside lá. Na última segunda-feira, o 13º Tribunal Regional do Trabalho acatou o pedido da juíza e julgou que em caráter imediato o atleta deveria ser reintegrado às atividades no Internacional de Lages, suspendendo a liminar que o dava direito jogar no Treze.

DIÁRIO DO SERTÃO