Avião interceptado pela Força Aérea Brasileira com mais de 600 quilos de cocaína não decolou da fazenda do ministro Blairo Maggi.

A afirmação foi feita pelo piloto Apoena Índio do Brasil, que admitiu ter informado um plano de voo falso.

Presos, Índio do Brasil e o co-piloto, Fabiano Júnior da Silva, alegaram que saíram da Bolívia com destino a Jussara, em Goiás. Não teriam passado pela propriedade arrendada pela empresa Amaggi.

A FAB havia declarado que a aeronave decolou da Fazenda Itamarati Norte, no Mato Grosso.

Em nota, a Aeronáutica esclareceu que o ponto de partida foi informado pelo piloto após a interceptação do bimotor.

O piloto Apoena disse à Polícia Federal que receberia 90 MIL reais pelo transporte. O co-piloto Júnior da Silva assumiu ser o dono da droga.

A polícia vai investigar o local exato da decolagem, o destino e a quem pertence o carregamento, avaliado em mais de 20 milhões de reais.

FONTE: RÁDIO 2