Em partida dramática, o Botafogo garantiu a passagem para a segunda fase da Conmebol Libertadores Bridgestone ao empatar com o Colo-Colo, do Chile, por 1 a 1. O jogo foi disputado na noite desta quarta-feira (8 de fevereiro), no estádio Monumental, em Santiago, e o Alvinegro carioca mostrou muito empenho para alcançar o resultado.

Agora, o Botafogo aguarda o vencedor do confronto entre Independiente del Valle, do Equador, e Olimpia, do Paraguai, que duelam nesta quinta-feira. Na ida, em casa, os equatorianos venceram por 1 a 0.

O resultado fez justiça ao espírito de luta demonstrado pela equipe de General Severiano que sofreu um gol, logo no início da partida com um lance infeliz de Emerson Silva, que marcou contra. Depois, o Botafogo lutou muito para reverter a desvantagem e conseguiu a igualdade nos minutos finais do segundo tempo com um gol de Rodrigo Pimpão. Como tinha vencido o jogo de ida por 2 a 1, o Glorioso foi beneficiado com o empate.

O JOGO

O Colo-Colo começou a partida em ritmo alucinante e, logo no primeiro minuto, criou uma situação difícil para a defesa alvinegra. Aos três minutos, o time chileno marcou. Após cobrança de escanteio, Rivero desviou e Emerson Silva, ao tentar aliviar o perigo, cabeceou contra suas próprias redes.

Surpreendido com a desvantagem, o Botafogo tentou se organizar para tentar buscar o empate, mas como tinha entrado com uma formação defensiva, encontrava dificuldade para chegar na área do time da casa. Aos dez minutos, o Alvinegro chegou pela primeira vez. Após boa jogada de Montillo pela esquerda, a zaga aliviou mal e Airton bateu da entrada da área, mas a bola saiu com relativo perigo.

Aos 15 minutos, o Botafogo criou a primeira real oportunidade de gol. Montillo recebeu na intermediária, se livrou da marcação e mandou a bomba no ângulo direito. O goleiro Justo Villar fez grande defesa, espalmando para escanteio.

O time brasileiro subiu de produção e Justo Villar voltou a brilhar aos 20 minutos, defendendo uma cabeçada perigosa de Marcelo. O goleiro do time chileno voltou a aparecer, desviando para escanteio, após cruzamento na área e falha de Valdés.

A partida caiu de nível técnico com muita disputa no meio campo e muitas faltas cometidas pelas duas equipes. Aos 35 minutos, Rodrigo Pimpão conseguiu a conclusão, mas o chute saiu fraco e sem dar trabalho para Justo Villar. Apesar do empenho dos dois times, nenhum lance importante foi criado pelas duas equipes até o final do primeiro tempo.

O Botafogo voltou sem modificações para o segundo tempo, mas mostrou mais agressividade logo nos primeiros minutos. Aos quatro, Jonas cruzou da direita. Rodrigo Lindoso dominou na área e chutou fraco e para fora, desperdiçando uma ótima chance para empatar.

Aos 15 minutos, o goleiro Gatito Fernández evitou o segundo gol ao realizar grande defesa em chute da entrada da área de Ramon Fernández.

Só aos 18 minutos é que o técnico Jair Ventura decidiu alterar o time alvinegro. Ele trocou o volante Airton pelo atacante Guilherme numa tentativa de dar mais força ofensiva à equipe, que controlava as ações, mas não conseguia concluir as jogadas. João Paulo recuou para armar as jogadas e Guilherme se juntou a Rodrigo Pimpão na frente.

A pressão botafoguense aumentou e Victor Luiz, aos 29 minutos, teve a chance de concluir um rebote da defesa, mas o chute do lateral saiu longe do gol de Justo Villar.

O atacante Roger entrou aos 30 minutos na vaga de Rodrigo Lindoso e, aos 35 minutos, o Botafogo empatou. Roger investiu pela esquerda e cruzou. Guilherme chutou, Justo Villar deu rebote e Rodrigo Pimpão bateu para deixar tudo igual. Logo depois do empate, o técnico Jair Ventura provocou a torcida que reagiu com objetos sobre o banco de reservas da equipe carioca. A partida ficou interrompida durante alguns minutos.

O Colo Colo partiu para buscar o segundo gol, que levaria a decisão da vaga para a cobrança de pênaltis. O Botafogo recuou e até o atacante Roger passou a atuar na marcação para defender o resultado. Os chilenos tentaram de todas as formas chegar ao segundo gol, mas o Botafogo se defendeu com garra e garantiu a vaga.

FICHA TÉCNICA
COLO-COLO 1 X 1 BOTAFOGO

Local: Estádio Monumental, em Santiago (Chile)
Data: 8 de fevereiro de 2017 (Quarta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Patricio Lostau (Argentina)
Assistentes: Ezequiel Bralovsky (Argentina) e Ivan Nuñez (Argentina)

Cartões amarelos: Meza, Pavez(Colo); Airton, Jonas, Rodrigo Pimpão(Bota)
Gols:
COLO-COLO: Emerson Silva(contra), aos três minutos do primeiro tempo
BOTAFOGO: Rodrigo Pimpão, aos 35 minutos do segundo tempo

COLO-COLO: Justo Villar, Fernando Meza, Julio Barroso, Baeza e Jaime Valdés(Pedro Morales);  Pavez, Luis Figueroa(Fierro), Ramón Fernández e Brayan Véjar(Christofer González); Octavio Rivero e Esteban Paredes
Técnico: Pablo Guede

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Jonas, Emerson Silva, Marcelo e Víctor Luís; Aírton(Guilherme), Bruno Silva, Rodrigo Lindoso(Roger), João Paulo(Dudu Cearense); Montillo e Rodrigo Pimpão
Técnico: Jair Ventura.

 

O Millonarios, da Colômbia, bateu o Atlético Paranaense no tempo normal por 1 a 0, no El Campín, em Bogotá, mas nas penalidades a vaga para a próxima fase da Conmebol Libertadores Bridgestone ficou com o Rubro-Negro, que fez 4 a 2. No jogo de ida, na Arena da Baixada, vitória do Furacão por 1 a 0.

Depois de pressionar por toda a primeira etapa, os colombianos chegaram ao gol depois do intervalo, aos 13 minutos, com Jhon Duque, que levou o jogo para os pênaltis. Porém, Franco e Nuñez desperdiçaram suas cobranças.

Na próxima fase, ainda mata-mata, o Atlético Paranaense enfrenta o vencedor do duelo entre o Universitario-PER ou Deportivo Capiatá-PAR, que se enfrentam nesta quinta-feira, com vantagem dos peruanos.

O jogo – O Furacão começou a partida com uma boa postura, tentando apostar na velocidade do ataque Aos dois minutos, Nikão fez o cruzamento e Pablo cabeceou para grande defesa de Vikonis. Aos seis minutos, novamente Nikão, que ficou de fora da primeira partida, cobrou falta na área, mas ninguém aproveitou. A equipe colombina tentou responder com chute de Quiñonez, para fora.

Carlos Alberto, outra novidade entre os titulares, tentava dar mais movimentação ao meio-campo atleticano. Sem conseguir entrar na defesa brasileira, Rojas arriscou o chute de longe, aos 16 minutos, sem direção. Já aos 18 minutos, a cobrança de falta de Del Valle obrigou Weverton a fazer uma defesa em dois tempos. Mais um chute, agora com Rojas, aos 23 minutos, por cima da meta.

Weverton operou um verdadeiro milagre, aos 36 minutos, parando uma cabeçada certeiro de Quiñonez. O Millonarios apertava em busca do primeiro gol antes do intervalo. Aos 37 minutos, Quiñonez chutou cruzado e o goleiro atleticano pegou mais uma. O Furacão estava totalmente postado na defesa, sem ação, mas segurando a classificação.

Para o segundo tempo, as duas equipes retornaram sem mudanças. Logo no primeiro minuto, Carlos Alberto partiu para a jogada individual, arriscou o tiro de longe a e bola passou raspando. Porém, os colombianos retomaram a pressão. Aos 10 minutos, Quiñonez atormentou mais uma vez a defesa rubro-negra e bateu cruzado, pela linha de fundo.

A pressão surtiu efeito aos 13 minutos, com um golaço do Millonarios. Depois da troca de passes, Jhon Duque se livrou da defesa com um belo corte e bateu colocado, sem chance para Weverton. O resultado aumentou a emoção, já que quem marcasse garantiria a classificação sem penalidades.

O ritmo, entretanto, caiu um pouco, com as equipes mais prudentes e também mostrando cansaço. Lançamento para Grafite, aos 31 minutos, mas Vikoni chegou junto. O atacante recebeu marcação forte durante a partida. Machado, com um chute de longe, aos 37 minutos, tentou surpreender, mas errou o alvo. O Millonarios tentava pressionar, mas encontrava um ferrolho pela frente e não evitou as penalidades.

Quem começou a cobrar foi o time colombiano, com Del Valle, que bateu bem e marcou. Jonathan, pelo lado brasileiro, converteu. Franco parou em Weverton. Grafite fez o dele. Pelo Millonarios, Cadavid anotou. No meio do gol. Carlos Alberto mandou no cantinho para fazer o terceiro. Nuñez carimbou o travessão. Felipe Gedoz garantiu a classificação.

MILLONARIOS-COL 1 (2) X (4) 0 ATLÉTICO-PR

Local: El Campín, em Bogotá (COL)
Data: 08 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Julio Bascuñan (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Carlos Astroza (Chile)
Cartões amarelos: Cadavid e Duque (Millonarios); Otávio e Jonathan (Atlético-PR)

Gol
MILLONARIOS: Jhon Duque, aos 13 minutos do segundo tempo

MILLONARIOS: Vikonis; Palacios, Cadavid, Franco e Machado; Henao (Barreto), Duque e Rojas (Hinestroza); Nunez, Del Valle e Quiñonez (Mosquera).
Técnico: Miguel Ángel Russo

ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Wanderson e Sidcley; Otávio e Lucho (Matheus Rosseto); Nikão (Felipe Gedoz), Carlos Alberto e Pablo; Grafite.
Técnico: Paulo Autuori

FOXSPORTS