Um policial militar foi preso no bairro de Gramame, em João Pessoa, na manhã desta quarta-feira (31) durante a terceira etapa da Operação Clone, da Polícia Civil da Paraíba. Conforme informações da polícia, o policial militar reformado, de 51 anos, estava usando um carro roubado em São Paulo e que tinha placas frias.

Em depoimento à Polícia Civil, o PM explicou que havia comprado o carro por R$ 6 mil a um desconhecido, embora o carro tenha um valor de mercado aproximado de R$ 30 mil. O policial militar deve responder pelos crimes de receptação qualificada, uso de documento falso e crime de falsificação de identificador de veículos. Caso seja indiciado pelos três crimes, a pena pode chegar a 15 anos.

A fraude foi identificada pela Polícia Civil porque a dona do carro que teve a placa clonada começou a receber as multas na cidade de São Paulo e repassou os documentos às autoridades policiais. Com o carro apreendido nesta quarta-feira (31), a Polícia Civil apreendeu 72 veículos em três etapas da operação.

O delegado Nélio Carneiro, responsável pela operação, informou que cerca de 25 pessoas estão envolvidas no esquema de clonagem de placas para uso de veículos roubados. Entre os envolvidos estão funcionários do Departamento de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), policiais militares reformados e empresários do mercado de veículos. A Polícia Civil estima que aproximadamente 100 veículos em João Pessoa tenham sido roubados e tiveram as placas clonadas.

Conforme as investigações, a quadrilha encomendava os carros em outros estados e pagava R$ 2 mil por cada um deles, independente do modelo. Na Paraíba, os integrantes do grupo criminoso tentavam emplacar o veículo ou colocavam placas frias, assim como adulteravam o chassi. Por esse motivo, os carros eram vendidos por preços abaixo do mercado.

FONTE: REPÓRTER PB