Como data histórica o município de Pombal celebra neste dia 04 de maio 246 anos de Emancipação Política.

Embora os festejos tradicionalmente sejam realizados em julho, quando também são comemoradas outras datas, pela sua importância histórica não deveria passar em brancas nuvens.

Sem qualquer programação oficialmente defendida para enaltecer o momento, a referência no calendário acaba passando despercebida por boa parte da população.

Pombal é uma cidade que tem seus desafios, seus encantos e seus problemas principalmente no aspecto estrutural.

O município passa por fatores que provocam a necessidade de soluções para questões básicas urgentes a exemplo de ruas praticamente intransitáveis devido a um serviço de esgotamento não concluído.

Entre tantas obras estruturantes muitas continuam emperradas ou aguardando serem entregues.

Hoje, o maior desafio mesmo é fazer a cidade diferenciar o lato político-partidário do político-administrativo e crescer eliminando o “separatismo”.

Neste aniversário (04 de maio) pelo menos o que fica é o pequeno registro histórico de uma das cidades mais conhecidas do Estado da Paraíba:

Em 22 de julho de 1766, o Rei D. José I, assinou a Carta Régia autorizando a erigir novas Vilas na Capitania da Parahyba.

Em 03 de março de 1772, o Ouvidor Geral da Parahyba, José Januário de Carvalho, encaminhou, em nome da povoação de Nossa Senhora do Bom Sucesso do Pinhancó, a instalação de uma vila no sertão da Parahyba.

Com o sim do governador, datado de 11 de março de 1772, foi instalada a Vila Nova de Pombal, no dia 04 de maio de 1772.

De imediato, fizeram-se eleições para o preenchimento dos cargos oficias, e para isso foi eleito o primeiro Presidente da Câmara Municipal, cabendo à honraria ao Capitão-Mor Francisco de Arruda Câmara, portanto, isso há 246 anos passados.

FONTE: LIBERDADE PB