A polícia isolou e esvaziou a área ao redor do museu e controlou a saída dos visitantes que se encontravam em seu interior REUTERS

O presidente da França, François Hollande, afirmou que “não há dúvidas” de que a tentativa de invasão ao Museu do Louvre, em Paris, foi um “ato terrorista”.

Nesta sexta-feira (3), o mandatário está em Malta para uma cúpula informal dos líderes da União Europeia.

— Quero saudar a eficácia da Operação Sentinela, que protege nossos compatriotas. Foi evitado um ato sobre o qual não há dúvidas em relação a sua natureza terrorista.

 

Atentado

Um soldado francês atirou e feriu um homem armado com um facão e com duas bolsas nas costas que tentava entrar no museu.

O homem gritou Allahu Akbar (Deus é grande) e atacou outro soldado antes de ser alvejado perto de uma loja do museu, informou a polícia, acrescentando que uma segunda pessoa também foi detida por agir de maneira suspeita.

O agressor está vivo, mas seriamente ferido, disse o chefe da polícia parisiense, Michel Cadot, a repórteres no local do incidente, acrescentando que as bolsas que o homem levava não continham explosivos.

“O soldado disparou cinco tiros”, disse Cadot, descrevendo como o homem avançou ameaçadoramente sobre os militares.

— Foi um ataque de uma pessoa… que representou uma ameaça direta e cujas ações sugeriram um contexto terrorista.

A procuradoria francesa informou que abriu uma investigação antiterrorismo sobre o caso.

Ainda não se conhece a identidade e a nacionalidade do agressor, disse o porta-voz do Ministério do Interior francês, Pierre-Henry Brandet, a repórteres.

A polícia isolou e esvaziou a área ao redor do museu e controlou a saída dos visitantes que se encontravam em seu interior

FONTE: R7.COM