A possibilidade da privatização da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (CAGEPA), destacada pela imprensa nacional, pautou as criticas da oposição na Assembleia Legislativa pelo serviço que é prestado pela empresa estatal e dividiu posicionamentos das bancadas em relação ao tema.

Um requerimento foi apresentado na casa solicitando uma audiência com o presidente da Cagepa, Hélio Cunha Lima, para que ele possa apresentar como está a situação da Companhia.

O deputado Bruno Cunha Lima (PSDB) disse que a favorável a decisão, desde que haja debate entre as entidades e a sociedade. O tucano fez, ainda, criticas ao serviço que é prestado pela Companhia.

“Eu sou favorável a tudo que possa somar a Paraíba. Mas, o Governo do Estado mais uma vez vem adotando uma postura ditatorial, uma vez que quando a imprensa vem denunciar algo, o governo nega. Fazendo uma avaliação rápida dos últimos anos do governo Ricardo, tivemos um reajuste grande nas taxas da Cagepa. Mas, infelizmente os serviços por parte da empresa não condizem com o que é pago. Precisamos discutir a qualidade do serviço. Espero que isso não esteja sendo debatido sem a população participar”, pontuou.

Já o deputado Raniery Paulino (PMDB) lembrou o empréstimo que foi aprovado para a Companhia e anunciou que apresentou um requerimento solicitando uma audiência para que o presidente da Cagepa, Hélio Cunha Lima, possa explicar o que estaria acontecendo.

“A Assembleia teve muito geste de generosidade com a Cagepa, aprovamos empréstimo de R$ 179 milhões para sanear a Cagepa. Por isso, estou solicitando a presença do presidente da Companhia para apresentar um balanço da empresa. É preciso que tenhamos consciência da situação da Cagepa”, destacou.

O deputado Anísio Maia (PT), que é da base do governista na Casa, se posicionou contrário a possibilidade de privatização e defendeu que a atual situação da Cagepa seja debatida.

“Privatizaram a telefonia e hoje é serviço mais caro do mundo, apesar de eficiente. Eu discordo que privatizando alguma coisa melhora, tem caso que piora. Temos que discutir uma gestão para Cagepa, mas sou radicalmente contra privatizar alguns setores da economia, daqui a pouco vão privatizar presídio, escola e não fica nada para o estado”, disse.

A deputada Estela Bezerra (PSB) adiantou que não conhece a possibilidade e disse que é contra privatizações de alguns setores como energia, petróleo e água.

“Eu desconheço matéria com relação a privatização da Cagepa. Eu acho que a água e petróleo são recursos para a sociedade para a gestão desses recursos serem feitos por terceiros. Basta ver a telefonia que foi privatizada. Eu sinceramente, acho que a energia, petróleo e água não podem ser privatizadas”, afirmou.

Portal Coremas