Se antes alguém pensava que as recomendações da Comissão de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios era alguma brincadeira ou bobagem, agora ‘o jogo’ passará a ser mais pesado. Depois de uma informação falsa divulgada por um veículo de comunicação em Campina Grande, o procurador de Justiça do Ministério Público da Paraíba, Valberto Lira, decidiu que os estádios não terão a presença de público amanhã, na abertura da Segunda Divisão do Campeonato Paraibano.

A única exceção, segundo Lira, será o estádio Carneirão, em Cruz do Espírito Santo, que segundo a Comissão, atende os requisitos mínimos para receber os torcedores.

“Colocaram o nome da Comissão em um comentário, afirmando que o Titão em Lagoa Seca estava sendo liberado, talvez para agradar alguém. Para que a população não siga acreditando nisso, porque é uma informação falsa, vamos considerar à risca os laudos e por isso, apenas o Carneirão receberá jogos, pois todos os outros estão com documentações pendentes ou não estão aptos para tal. Não vamos abrir mão da legalidade”, disse Valberto.

Um fato que chama atenção é que o Almeidão, em João Pessoa – que é o maior estádio entre os relacionados para receber jogos nesta Segundona – não teve os laudos de Segurança e Higiene apresentados, além do laudo de Prevenção e Combate à Incêndio que perderá a sua validade agora no próximo mês de outubro.

O procurador ainda foi mais duro, afirmando que os gestores das prefeituras de Patos e Pombal, por exemplo, que se comprometeram no ano passado em solucionar os problemas apontados nas praças esportivas, não cumpriram o que foi acordado em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Adiamento do início da competição

A Segundona deveria ter iniciado na semana passada, porém a Federação Paraibana de Futebol (FPF) adiou a competição um dia antes da data prevista. Em conversa com o CORREIO, dois dirigentes revelaram que o pedido feito por quatro clubes se deu por causa de problemas nas inscrições dos jogadores.